Artigos publicados na categoria "Futebol"

  • Dignidade vendida para a China

    Dignidade vendida para a China

    O primeiro semestre de 2015 reservou ao Grêmio um de seus times mais modestos desde 1903. E, afundado em dívidas em virtude dos gastos com a Arena e os altos salários a atletas pouco utilizados, as previsões são das mais pessimistas.


  • Viver ou sobreviver?

    Viver ou sobreviver?

    Sem Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Lucas Silva, três dos quatro pilares de Marcelo Oliveira, a atmosfera da Toca da Raposa no início de 2015 é bem diferente daquela do final de 2014. E, para o seu próprio bem, o Cruzeiro precisa assumir o seu novo figurino.


  • Imposição majestosa

    Imposição majestosa

    O Corinthians, pela quarta vez em quatro compromissos relevantes na temporada, jogou. E o São Paulo, pela segunda vez em dois compromissos relevantes na temporada, decepcionou.


  • A gula do Galo

    A gula do Galo

    O Galo quer brigar por tudo em 2015, e não há exagero nisso. Com uma base confiável, um estilo de jogo vencedor e Levir Culpi, o atleticano tem permissão para sonhar.


  • A palavra é paciência

    A palavra é paciência

    Oswaldo de Oliveira tem todas as condições para materializar a ambição do Palmeiras, que deseja fazer de 2015 um divisor de águas em sua história recente. Nesta receita, porém, ainda faltam dois ingredientes externos: tempo e compreensão.


  • Uma estrela solitária

    Uma estrela solitária

    A difícil situação botafoguense só é amenizada quando se olha para a sua meta, onde está Jefferson. Uma espécie de estrela solitária dentro de um clube que precisa urgentemente voltar a brilhar.


  • De Dalí a Aguirre

    De Dalí a Aguirre

    O fim de ano colorado seria digno de um registro surreal de Salvador Dalí. Agora, de volta à Libertadores depois de três anos, a missão do Inter será recuperar o padrão de jogo perdido.


  • O feitiço do tempo

    O feitiço do tempo

    A oxigenação de Tite como técnico precisa ser acompanhada por uma nova mentalidade dos dirigentes do Corinthians. Se isso não ocorrer, um momento decisivo da história recente do clube será atravessado dentro de uma roleta de tentativas impensadas.


  • Um passo de cada vez

    Um passo de cada vez

    O que se espera do Flamengo é um 2015 tranquilo, sem disputas por grandes títulos nem brigas contra a degola. E uma silenciosa torcida para que 2016 chegue logo.